segunda-feira, janeiro 09, 2006

Mãe (que) sofre...

5 ou 6 camones, aprovados com distinção na Universidade da Vida, iniciaram e esboçaram, em tertúlias bem animadas, a incursão no mundo digital e virtual: Axistomuitoestranho®. Quase um ano depois, fui abandonado (esperemos que por pouco tempo...) nesta hercúlea tarefa de postar em tão nobre blog, por razões já citadas há alguns posts atrás. Assim se explica a fraca actualização de textos. No entanto, esta paragem será benéfica para vós, já que assim terão oportunidade de ler os textos de um passado já longínquo e que, na altura, só terão sido apreciados e saboreados por um pequeno punhado de pessoas. Atrevam-se então a ler os textos inaugurais, se e só se:

- Não considerarem o suicídio uma opção a ter em conta;
- Não conseguirem entrar voluntariamente em estado de coma;
- Forem masoquistas;
- Não sentirem grande vontade em fazer algo importante, como por exemplo: comerem / beberem, lerem (ler mesmo), escreverem qualquer merda, fazerem o amor, fazerem o amor sem parceiro (a), vulgo masturbação, fazer o xixi / cocó, contarem o número total de folhas da maior árvore que conheçam e que esteja relativamente perto, etc...;
- Na televisão estiver a dar o Goucha, Esquadrão G, Portugal no Coração e/ou Malucos do Riso;
- Na rádio Antena 3, estiver a dar o programa 3 Horas de Ponta, das 13h às 16h, com Rui Estêvão e Ana Lamy.

Adiante,

O prezado colunista, D.Sebastião, morto para o blog há mais de 2 meses, agora com TV Cabo de mais de 600 canais, mas ainda sem Internet, escreveu (há muito, muito tempo atrás) um texto sobre o papel preponderante dos homens e "atrapalhante" das mulheres. Pois bem, (e sem ter nada a ver com post do D.Sebastião) a mulher em geral, mãe em particular, merece alguém que a defenda. Eu, não sei porquê, vou fazer por isso, dando-vos a minha turva e conturbada perspectiva do que é ser mãe em 4 míseros pontos cardinais.

Ser mãe é:

Ponto 1: Cozinhar para o agregado familiar. Assim, uma misericordiosa mãe, deverá :

Comer a asinha do frango de churrasco, ou mesmo os peitos - se estes se apresentarem já secos - e deixar as perninhas e as coxinhas para os filhos e marido.

Comer a badana do bacalhau, assim como a cabeça do peixe assado, cozido ou grelhado, deixando o resto da "carninha" para o cônjuge e descendência.

Chuchar os ossinhos e costelinhas do cabrito ou do coelho, sustentando um sorriso e asseverando que a carne dos interstícios (se ela existe, eu nunca a encontrei, nem perdi um segundo a procurá-la...) é, sem sombra de dúvida, a mais saborosa.

Servir-se sempre no fim, já que assim, para o caso de "o comer" não chegar, dizer que lanchou muito e que já está satisfeita, permitindo o enfartamento dos familiares.

À sobremesa comer o bolo recesso que sobrou do fim-de-semana.

Ponto 2: Lavar e passar a roupa, permitindo a perpetuação do milagre da roupa suja que o filho deita no chão e que reaparece 2 dias depois, bem arrumadinha nas gavetas do armário.


Ponto 3: Levar os filhos à escola, reuniões na escola, ajudar nos TPC´s e ainda arranjar tempo para dar um saltinho, depois do trabalho, no Lidl. Educar os filhos, chamando-os à atenção, permitindo que o pai seja o bom da fita.


Ponto 4: Fazer sexo com o marido, agora sem o intuito de procriar; Mesmo assim continua a não retirar qualquer tipo de prazer / sensações agradáveis / nem que seja um ligeiro inturgescimento do clítoris, até porque tem de pensar no ~"comer" para o dia seguinte e quando e como vai arranjar tempo para dar um saltinho, depois do trabalho, no Lidl.

11 Comentários:

Blogger alfinete de peito disse...

Mãe sofre, felizmente para as mulheres as coisas têm vindo a mudar...ou não.

Abraço.
Temos dito.

09 janeiro, 2006 12:16  
Blogger Cruzeiro disse...

De facto a mulher é um "bicho" fantástico!
E ainda conseguimos sorrir depois disto tudo...:)

09 janeiro, 2006 16:56  
Anonymous devilspit disse...

Eu confesso que tive que me controlar para que o meu lado feminista não se sobrepusesse ao humor, até porque o texto não só apresenta comicidade como relevância politico-cultural (a verdade é que isto ainda acontece). Agora não se permitir o inturgecimento clitoriano é que é demais!! Irra, pelo menos deixem-nas (sim, que eu não sou mulher para ser criada de ninguém) o prazenteiro gozo do sexo!

09 janeiro, 2006 19:02  
Blogger Mac Adriano disse...

Ah bom, afinal ainda se produz neste blogue. Ficou ali tanto tempo a Carla Matadinho, que eu pensei que, ao contrário do que dizias, afinal tinhas uma profunda admiração pela rapariga ou até mais do que isso.

09 janeiro, 2006 21:44  
Anonymous Anónimo disse...

Pessoal, é suar a camisola, fazer noitadas, mas o blog não pode estar sem actualizações. É que sem este blog, só nos fica a política para rir e..., como vocês não têm as mulheres em grande préstimo, também não precisam de perder muito tempo!
http://desgovernos.blogs.sapo.pt/

10 janeiro, 2006 00:19  
Blogger Nelson disse...

Tens muita piada, pah, mas o ponto 4 é que não...

10 janeiro, 2006 10:55  
Blogger alfinete de peito disse...

Check out the new stuuf of alfinete.

12 janeiro, 2006 12:26  
Blogger Castor (moi-je...ehe, ehe) disse...

Inspiraste-te na vida (passada) da Gina para fazeres este texto? Olha lá, tu tambem a conheces? Rôda-se, a gaja é muita minha amiga...vou ter com ela a Haia e mando-lhe "comprimentos" da tua parte, fica descansado...ehe, ehe, ehe!!!

14 janeiro, 2006 02:37  
Blogger Diamonds Center disse...

I just came across your blog and wanted to drop you a note telling you how impressed I was with the information you have posted here.
I also have a web site & blog about pink diamonds
so I know what I'm talking about when I say your site is top-notch! Keep up the great work!

14 janeiro, 2006 17:02  
Blogger Mac Adriano disse...

Ó Diamonds Center, já te disse isto noutro blogue qualquer: Fuck you!!!

14 janeiro, 2006 18:40  
Blogger Nelson disse...

Olha, o senhor inglês outra vez... Ele tá em todas :P

16 janeiro, 2006 10:55  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home