terça-feira, fevereiro 21, 2006

Ex-Big Bródas e "Tales" of Estados Onidos...

Mário D´Alcança-me a Elnet ó Psst ó Faz Favor, ex-concorrente do 1º Big Bróda foi preso. Pois é meus camaradas, este "jovem", aparentemente dócil e de facies alcoólica é suspeito de ser o cabecilha de um gang de assaltos à mão armada. Este sub-produto de uma TV - que nos ministra(ou) doses maciças de telenovelas adaptadas de originais sul-americanos, estórias/escórias de amor-ódio-paixão-com tiques Gouchigayanus, humor básico e pseudo-celebridades escarrapachadas e pespegadas num quintal ou, futuramente, num circo - está em prisão preventiva num estabelecimento prisional do Porto. Ele é suspeito de vários roubos (lojas de informática, transporte de valores e lojas de conveniência) no Porto, que terão rendido mais de 75000 euros.

Agora segue-se um espaço para perguntas assaz pertinentes:

Primeiro, porque é que não o prenderam preventivamente logo após a sua passagem pelo BigBrother? Ou mesmo antes? (por exemplo, capturar o facínora "em antes" do crime acontecer, como na película Minority Report...) Deste modo, tinha-se impedido facilmente este desfecho, hein?

Segundo ponto: o Jornal de Notícias escreve que este seria o cabecilha do grupo. Ó Mário, também é preciso ser estúpido! Tendo participado no 1º Big Brother - que infelizmente foi líder destacado de audiências - alguma vez te passou pela cabecinha que a probabilidade de seres reconhecido durante um assalto era, a bem dizer, muito grande? Dah! É que foste logo ocupar a posição de cabecilha do gang. Não te chegava ser peitinho ou coxinha do gang, hein? Não! tinhas que ser o protagonista... E, ainda por cima, arriscas o teu pescocinho por 75 mil euros... Pois eu digo-te aqui, olhos nos olhos, que se fosse assaltante, não me arriscava desse modo. Atacava uma vez, mas em grande. Assim, haveria apenas e tão só uma oportunidade de ser apanhado... Não passas de um amador...e bem bronco, por sinal...

Já que falo em exemplos da mais pura estupidez humana, descobri este caso que sucedeu nos Estados Unidos (é um exemplo de idiotice atroz, quer da parte do homem de 60 anos, quer das leis do Estado de Oregon). Ora bem, Nicholas era exterminador de profissão em Salem. No exercício da sua profissão, ao inspeccionar a casa de uma senhora de bem, agarrou-a e tentou beijá-la várias vezes (ui, que malandreco...), até chegar um vizinho que resolveu a contenda. Pois bem, acontece que como era a terceira vez que fora acusado de assédio sexual, o tribunal condenou-o a PRISÃO PERPÉTUA! Nicholas retorquiu, dizendo que a sentença era desproporcionada, cruel e desumana - afinal ele só a teria tentado beijar e não a tocou em partes intimas ou zonas sexuais (como refere a lei de assédio sexual em Oregon) -; todavia o Tribunal reafirmou-a, alegando que «o que interessa nesta lei não é a gravidade do crime, mas a sua repetição». Palavras para quê? Estados Onidos, land of the freedom, home of the brave.

Imagine-se a situação em Portugal: metade dos funcionários públicos e patrões de empresas privadas, de meia idade, casados e com filhos, a serem acusados pelas respectivas administrativas - as que acham que têm condições para subir na carreira na vertical e não horizontamente -. Seria o caos! E fait attention, que naquele estado de Oregon já vão no quarto caso de prisão perpétua por assédio sexual. Nós, anteriormente homens viris, deixamos que os direitos internacionais das mulheres fossem ratificados e reificados e, agora, o feitiço virou-se contra o feiticeiro... A gente a modos que lhes deu a mão e elas aproveitaram e ficaram com o braço todo...

Também bronco, foi Greg, um homem de 45 anos, residente em Tulsa, Estados Onidos, que mordeu e arrancou o nariz da namorada à dentada. Apercebendo-se que a polícia chegaria em breve, tratou de "fazer desaparecer" a prova, engolindo o pedaço de nariz. Haverá quem diga à respectiva namorada, ou mesmo às dos outros: «Vou-te comer toda, de cima a baixo» - Pois Greg, que eu sei que não é de falinhas mansas, passou das palavras à acção, começando por cima, já que nunca esperaria que depois da primeira dentada, a sua garota fugisse para a rua a sangrar profusamente e que, ainda por cima, os esguichos de sangue chamassem a atenção dos transeuntes... Ele há coisas... Foi obviamente detido por agressão, resistência à detenção e destruição de provas. É caso para dizer, toma lá que já almoçaste...

sexta-feira, fevereiro 10, 2006

Os Tugas e o sexo (ou falta dele...)


O AX´istomuitoestranho vem, por este meio e para quem anda distraído, informar vossas excelências dos resultados de uma sondagem realizada entre os dias 13 e 20 de Dezembro de 2005 sobre as orientações e hábitos sexuais dos Portugueses e de um estudo epidemiológico recente das disfunções sexuais. Ah! Obviamente também comentarei os resultados que julgue dignos desse facto.

Primeiro há que informar que, no decurso da sondagem, foram realizadas 1980 tentativas de entrevistas a pessoas com mais de 15 anos. Digo tentativas, porque apenas 726 pessoas aceitaram responder ao inquérito, tendo então 1254 pessoas recusado colaborar. Ui! Falar de sexo é que custa! É uma vergonha... Faz corar, não? Isso do sexo só deve ser feito às escuras e apenas com o intuito de procriar, não? Cada vez mais me convenço que a maior parte das pessoas que ligam para o ABSexo com dúvidas inacreditáveis ou mandam cartas para a revista Maria, pura e simplesmente não podem nem devem existir. Quase que aposto que contratam o pessoal do Contra Informação, tornando possível, com a desmultiplicação das suas vozes, a criação de inúmeros participantes. Bem, algumas dessas pessoas (provavelmente as mesmas que mandam cartas para a Maria a perguntar se será anormal barrarem-se com manteiga de amendoim, nuas, sozinhas em casa com o seu cão) não existem de certeza, ou então trabalham no Circo Cardinalli ou então são funcionários públicos. Peço desculpa, não havia necessidade; os funcionários públicos não são o problema de tudo. Fazem é de tudo um problema. Prontas. Já chega de malhar neles.

Adiante. Temos então no nosso Portugal retrógrado, 90,1% de heterossexuais, 7% de homossexuais e 2,9% que gostam de jogar pelas duas equipas. Nada tenho a comentar. Apenas posso constatar que a minha equipa ainda vai à frente, não obstante o classificado "imediatamente atrás" estar agora numa posição confortável, não parecendo haver ainda perigo de aproximação pela retaguarda. Todos os heterossexuais assumem a sua orientação, enquanto que apenas 50% dos homossexuais o fazem. Não entendo... Até parece que em Portugal não há direito à diferença...

À pergunta "A ameaça de sida condiciona ou já condicionou a sua actividade sexual?", 52,2% responderam que NÃO! A única conclusão que posso tirar daqui é que metade da população tuga é estúpida e mentecapta, pensando ainda que o bicho da SIDA só pega aos homemsexuales ou aos drogaditos ou às prostitutas. 8% da população recorre a serviços de acompanhamento, expresão que pretende ser um eufemismo de prostitutas (sim, sim..., devem ser 8%...); ora bem, desses 8%, 1/5 não usa preservativo. Vá-se lá entender... Muitos até pagam mais para elas fazerem sem preservativo...

Apenas 6,3% reconhece que usa algum medicamento/substância/produto potenciador do desejo sexual. Obviamente que olhando para o segundo estudo que analisei (sim, porque eu sou letrado e extremamente culto e instruído...) percebe-se que há por aí muito machão que tem medo de admitir os problemas e, consequentemente, não procura soluções - muitas vezes tão simples - para os resolver... Assim, 24% dos homens tugas sofrem de algum tipo de problema sexual, correspondendo 15% à falta de desejo sexual, 13% à disfunção eréctil e 13% de alterações na ejaculação. O engraçado é que as mulheres responderam que os problemas sexuais dos seus parceiros se distribuíam da seguinte forma: 50% falta de desejo sexual, 22% disfunção eréctil e 28 % alterações da ejaculação. Contradições? Nã... Tabus, constrangimentos e embaraços...

Realativamente às mulheres, o panorama também não é muito animador: 40% das mulheres que sofrem de algum problema sexual, afirmaram não terem feito nada para o resolver. As principais razões apontadas são «tenho fé que vai melhorar por si» e «isto não é relevante para mim, pois estou bem como estou». Ok! Alto e pára o baile! Eu por momentos pensei que estávamos ainda no século XIX! Como é isto possível? Das duas uma: haja crença num milagre ou azar do caralho, vou mas é fazer tricot, que isso de ter prazer no sexo dá muito trabalho e implicaria ligar a luz do quarto e ver o meu marido todo nu e vice-versa. Da-se! Que mentalidades pequenas...

32% de todas as mulheres (com e sem disfunção) referem dificuldades em atingir o orgasmo, concluindo o estudo (através do cruzamento dos dados dos dois sexos) que 8% das mulheres fingem o orgasmo. Exemplo real captado por um microfone, escondido por um membro incógnito do AX´istomuitoestranho:

- Felismina, apetece-me algo?
- Antonino, estou cansada e ando tão stressada com o "trabalho" lá na repartição...
- Oh, anda lá...
- Não, môr, fica para d´hoje a oito... Pode ser?
- Fuodasse! Para ti, não há direitos, só deveres! Prontos, já está... Não custou muito, pois não?
- Ui! Ai! Que bom, mor! Ai! Que gostoso!
- Gostas filha? Toma! Gostas de levar com ele? Toma!
- Ui! Tão bom!Vá, dê-me com mais força! (reparem que ela trata-o por você
- Aguentei 1 minuto seguido, hein? Gozaste?
- Claro! Divinal! Esperneei de prazer... Nem precisei que me aquecesse antes do coito... Você é muito bom na cama, tem um pénis gigante e eu sou uma ninfo!
- Ok! Maravilha. Vou dormir, até amanhã, adoro-te.
- Até amanhã, môr?

Serão assim os portugueses na cama?

P.S.: Nisto a mulher, desgostosa, depois de se certificar que o marido já dorme, levanta-se, saca do vibrador e ZZZZZZZZZ! O pior é que nem isso fazem... Até não seria muito mal, pensando que não discutem os problemas com os maridos, nem os querem resolver... Surgiu/surge assim o conceito da respeitada "Dona de Casa": Dá beijinho ao marido, satisfá-lo duas vezes por semana, cuida da casa e dos filhos. E agora perguntais vocês: E o prazer? Bem, ele há coisas bem mais importantes na vida... São prioridades. Claro que para a causa contribui, obviamente, o machão tuga que pensa que sexo a dois é péis-péis-pam-pam-toma-toma-pim-pim-aaaaaahhhhhhh, e já está. Rápido e indolor.