sexta-feira, abril 29, 2005

A febre do colete amarelo

Andava eu pelos trilhos de Portugal no meu Porsche 1.4 TDI quando algo macabro se deparou sob a minha pessoa humana. Tal como irmã Lúcia e seus dois amiguinhos (as), eu também tive uma visão. Não a de um sol a girar muito depréeeeessaaaaa, mas sim de algo gemado vivo saltarinhando pelo nosso País.

Coletes reflectores. Realidade ou ficção? Serão importantes na prevenção rodoviária? Porventura serão, mas eu não estou aqui para discutir assuntos de menor importância. Estou aqui, isso sim, para falar da ficção. Ora, o típico tuga baixo e de bigode farfalhudo acompanhado de mulher gorda também de bigode farfalhudo (este, quiçá, duplo...) qual febre de Dengue, achou que o espartilho teria mais e melhores utilidades. Já nem me quero pronunciar acerca do colete no vidro traseiro ou estrategicamente colocado a envolver o assento do condutor. Porquê andar com ele VESTIDO, pelo Portugal, sem serem coagidos? Se se vai a correr/passear sozinho ou em grupo pela berma da estrada sem passeio à noite, é uma coisa. Quando há passeio, a coisa começa a ser ridícula. Quando é de dia, é de ser completamente idiota/imbecil.

Agora, famílias infectadas de coletes reflectores a piquenicarem em pleno dia de sol radioso e resplandecente (lá está, nova alusão ao sol) em estações de serviço/apeadeiros? Ao que nós chegamos... Se não fosse o Mourinho e o Belmiro tinha quase vergonha de ser Português...
Eu vou abastecer a minha viatura e penso: Ai, se não fossem os coletes, nunca avistaria aqueles trauseuntes a merendarem sandes de orelheira e couratos e cerveja SuperBock versão trolha (dou estes exemplos por isto ter acontecido abaixo do Tejo; se fosse no Norte seriam rojões e tripas...) na estação de serviço em pleno dia e, com toda a certeza, atropelaria e esmagaria todos eles desde o petiz ao mais idoso.

Portanto se você não é ciclista, maratonista, trolha ou agente de autoridade não o use. Não contribua para a realidade do nosso país terceiro-mundista. Chega de sermos idiotas e acanhados!

P.S. : Fontes muito próximas de mim, confidenciaram-me que esta febre, a qual espero bem que seja fugaz, terá ocorrido, não por uma cretinice colectiva maciça, mas sim pelo facto de as criaturas ao constatarem que tinham comprado coletes ilegais, sentiram necessidade de lhes dar um uso que não o estipulado pelo novo código da estrada. Bem, será uma hipótese pertinente, mas não justifica piqueniques (gosto da palavra...) pelo Portugal, com essa visão dantesca de TODA uma família travestida de canário...

terça-feira, abril 26, 2005

Clube de tez encarnada acarinhado e idolatrado pelo povo de Portugal

Levadinhos ao colo e mai nada... com direito a pó talco e palmadinha no rabo no final.

quarta-feira, abril 20, 2005

aures habent et non audient

No curto tempo de vida deste Blog, a minha participação tem-se centrado na temática político-social do nosso país. Não contente com a parca amplitude dos meus horizontes, prometi-me alargá-los a outros igualmente prementes. No entanto, a busca de notoriedade por parte da nossa classe política é tanta que, por vezes e por muito que queiramos, não a podemos contornar. Desta vez a pérola é uma "Carta Aberta" publicada no Jornal de Santo Thirso no dia 1 de Abril (e não, não é mentira) da autoria de um Sr. chamado Alcindo dos Reis. Antes mesmo de saber de quem se tratava já lia que, segundo palavras do próprio, "...generalizou-se a convicção popular de que eu seria o candidato (à Câmara Municipal de Santo Tirso) do PSD". A referida carta tem tanto de hilariante como de angustiante pois, como cidadão tirsense, estou farto da Marmanjona que preside à nossa Câmara. Será que numa cidade que é um permanente marasmo, presidida por um Sr. que sonha torná-la um dormitório de luxo o PSD não consegue arranjar coisinha melhor? É que dormitório dispenso e luxo só se for o do Sr. Presidente a quem o totoloto tem sorrido de forma bastante conveniente. Voltando à Carta Aberta, o Sr. Alcindo lá continuou dizendo que muito do seu "...ambicioso e sólido..." projecto está publicado. Onde? Na Alcindus Magazine? No entanto o mais preocupante é não o Sr. Alcindo ter criado um mundo imaginário onde é muito popular e respeitado (João Soares também tem o seu) mas ter como slogans de campanha, Liberdade, Solidariedade Social e Faternidade (já agora Sr. Alcindo, escreve-se FRATERNIDADE) Humana, colocando a "PESSOA HUMANA - o Povo - no centro e no topo das nossas motivações". Finalmente a absurda expressão "pessoa humana" faz sentido porque até ler esta Carta Aberta não conhecia uma pessoa que não fosse forçosamente humana. Desde Cunhal que não via alguém tão a leste (literalmente) da realidade quotidiana. Ó Sôr Alcindo, Abril de 74 já lá vai e os brumelhos são PCP e não PSD. A malta de direita quer é saneamento básico, mais e melhores espaços comerciais, que retire a feira do centro da cidade, desbloqueie a situação do F.C. Tirsense, pense desde já num processo integrado de revitalização das margens do rio Ave após a sua despoluição e sobretudo, que a Câmara juntamente com o governo e confederações industriais antecipem o êxodo da produção têxtil de baixo valor acrescentado para a Ásia promovendo o concelho a industrias de mão-de-obra qualificada (em vez de centrar esforços a protestar contra a saída das fiações). No fundo o que malta precisa é de dinheiro, muito de preferência, quem foge do capital como o diabo foge da cruz são os comunas e esses com alguma sorte, estando a Igreja situada na margem do rio, ao fugirem... glup!! Finalizando a magnífica prosa auto - intitula-se "como humilde homem do Povo" e que "...fazia-se alastrar entre o Povo, a vontade de que eu fosse o seu candidato". Está-se mesmo a ver quem por entre o Povo lançou o boato... na verdade, todo o processo do seu afastamento (que esta carta justifica plenamente) que o próprio intitula como "...práticas tradicionais de marca fascista", cozinhado por um tal Marco António de Valongo e pelo presidente da Comissão Política Dr. João Abreu é revelador da canalhice que reina nos aparelhos partidários. Agora, Sr. Alcindo, este afastamento de fascista tem muito pouco, porque quem escreve:

Santo Tirso é o meu ânimo
O seu povo é o meu lugar
não seria afastado pelo Führer... seria fuzilado!!

quinta-feira, abril 14, 2005

Alguém que te cale!

Esta semana ando e continuo revoltado, insurrecto e indignado. Nem a derrota do Benfica me alterou este estado de espírito. Sinto uma força visceral incontrolável que me transforma num ser desprovido de escrúpulos, disparando para tudo e para todos.

Hoje, apetece-me "tripar" com o Rui Estevão. Para quem não sabe, o moçoilo apresenta um programa na Antena3, de Segunda à Sexta, a partir das 13:00, onde passa música e fala. Ora, o problema está aí; é que a música ainda se aguenta, mas, nos interlúdios, começa com o paleio de "chácha" e não há paciência que resista...

É que o moço não diz NADA de jeito! (dejá vu?) Ele é, sem sombra de dúvidas, o Malato da Antena 3; tanto quer falar que nada diz; houve alturas que chegou a ser decadente, enfim, medonho. És um secas... Enquanto o Malato é panão, tu és insonso. Ainda por cima, o teu blog intitula-se de "Alguemmecaleporfavor"; e não paras de o publicitar... Até tu! Até tu admites o problema! Mas, tu não tens culpa... Tu és uma vítima do sistema. Culpa têm os chefões da Antena3 que te contrataram. Com tantos cabeçudos neste país e foste logo tu sair na rifa.

Cunha? Nã... És só tu na Antena3 e o Luís Delgado e o Rui Santos na Sic/Sic Notícias.

segunda-feira, abril 11, 2005

Um contra todos...

Da-se! Não há paciência! Eu peço imensa desculpa, mas estava a ler um pouco deste nosso blog e uma força, como que demoníaca, apoderou-se de mim e impeliu-me a postar isto:

Ó Malato, porra, mas é possível alguém pagar-te para apresentares aquele concurso? É que, sejamos franco, o concurso é uma merda, mas tu consegues tornar aquilo num suplício, num deserto de ideias, num massacre de televisionadores. Até os gajos que, ao fazerem o zapping, passam, inadvertidamente, os olhos na RTP, sentem tonturas e zumbidos, mesmo com exposições pequenas ao conteúdo do concurso... É que vê-se que não tens nadinha para dizer, fazes comentários ridículos, tentas fazer conversa, mas não dá.. É que do outro lado até poderão estar pessoas minimamente inteligentes, que conseguem expor as suas ideias, enfim, dizer e responder algo com lógica. E tu? Do teu lado, não há NADA! Não se passa NADA! Tens o teleponto, o cpu que te dá as respostas, enfim... Nem a merda das conversões para euros sabes fazer! Temos sempre que levar com o tua cabeça acéfala a tentar fazer as contas. Fazes-me lembrar o Guterres e o PIB...

Peço desculpa aos leitores por este desabafo mas, percebam que para a estas horas me dar para postar, é porque o impulso foi grave...

P.S.: Só mesmo uma empresa sem fins lucrativos e de acção social e caridosa como o Estado Portugês, poderia dar emprego a um songa-monga como o Malato. Haja paciência...

quinta-feira, abril 07, 2005

Marítimo

O Marítimo resolveu promover acções de formação de informática e inglês aos seus jogadores do plantel principal.
Na busca incessante de melhores condições para os funcionários do clube, a direcção vai promover já no início da próxima época, uma acção de formação de português para os atletas, e para os seus dirigentes formação em "gestão de prioridades deixando de fora idiotices para chamar a atenção dos media".

Mourinho

O AXistomuitoestranho consegui saber através das suas fontes na UEFA, que este organismo vai aplicar nova sanção a José Mourinho. Desta vez a sanção é devida às não declarações do seu adjunto Baltemar Brito no flash-interview após o jogo Chelsea vs. Bayern Munique, que conseguiu falar durante 2-3 minutos mas que não foi capaz de reproduzir qualquer declaração. Nestas ocasiões, a UEFA normalmente tem mão pesadíssima e as sanções poderão passar desde a inibição a José Mourinho de estar presente nos treinos da equipa (não nos podemos esquecer que foi ele o responsável pelo adjunto ter prestado não declarações), falar com os jogadores desde as 5.30 AM até às 3 AM, até à impossibilidade de comprar pão na padaria mais próxima de casa.
Antevêem-se tempos difíceis para os lados de Stamford Bridge.

quarta-feira, abril 06, 2005

Congresso de Sexo, Arte e Terapia - Parte 1

Para quem não soube, foi no dia 18 de Março que isto aconteceu no Seminário de Vilar, no Porto.

Antes de principiar o escárnio das vicissitudes do acontecimento (e que vai dar pano para mangas...), é meu dever, como cidadão exemplar e cumpridor, colocar a seguinte questão: Tudo bem que estamos num país livre e estado laico e eu sou uma pessoa deveras liberal e tolerante, mas tinham logo que escolher um SEMINÁRIO para acolher este lascivo, quiçá devasso ou até demoníaco congresso? Eu sei que o local é usado frequentemente para congressos e congéneres, mas, porra, falar sobre sexo num seminário não será um pouco ordinário? Quem autorizou, na esfera do catolicismo, esta tamanha desfaçatez? Este atrevimento, este desplante? E que dizer da audácia e arrojo dos organizadores? Estará o olho que vê tudo, cansado? Estará a censura a falhar? Que é feito dos métodos inquisitórios? Nem tu, padre Borga, te insurgiste contra o belzebu? (padre altamente mediático, sendo na última sondagem do 24 Horas, o 2º padre mais conhecido pelos Portugueses, estando agora, a apenas 10 pontos percentuais do Frederico, tendo escapado ao último, desde Copacabana, o seguinte comentário: "Ai, filha! Faz-me alembrar dos tempos em que no Portugal andavam todos por detrás de mim! Gordas!")

Hum... Espera... Como? O padre Borga esteve lá? Não pode! Ainda por cima num dia da semana? Então, isto quer dizer que faltou à Praça da Alegria para ir a um congresso profano em solo sagrado... Mas estará tudo doido? Meus amigos, pode isto ainda piorar? Pode...ai pode, pode...; passo a transcrever as suas sacrossantas palavras:

"Procuro fazer da testosterona um impulso de entrega à profissão."

Vocês pensem o que quiserem. Dou-vos total liberdade para reflectirem sobre tamanha demonstração de fé.Apenas vos comunico o seguinte, sem intuito de vos influenciar e xem malíxia:

Eu bem sei o que a minha testosterona impulsiona... O que tu queres sei eu...

Sintetizando, ao congresso foram 600 pessoas, das quais destacarei algumas, quer pelo teor das suas palavras, quer pelas suas orientações sexuais, etc.. Os destaques apenas serão efectuados no post seguinte por motivos editoriais ao qual sou alheio.
Para vos adoçar o bico, digo-vos que estiveram lá padres, médicos, actrizes porno, economistas, transexuais, celebridades e pessoas sensíveis, tipo Malato. P.S.: Não sei se ele foi mas, de qualquer modo, acho-o uma pessoa sensível, delicada e doce e, tendo-o já visto numa reportagem, de fatiota escura, sapatilhas mocotó e mochila ridiculamente pequena às costas, considero-o um bom exemplo para perceberem a que entes me refiro, quando falo nas tais pessoas sensíveis... Essas!

No próximo post comentarei, então, o manancial de ideias que os congressistas fizeram o favor de discorrer. Bendita revista Visão, que fez a reportagem sobre o evento. São estas coisas que permitem que o blog sobreviva... (Tema: sexo) + (local sagrado fetiche) + (participantes de todos os feitios e trejeitos) = Bacanal? Lá está, voltamos à minha prévia cogitação sobre o sexo em grupo! O que interessa é entrar e participar...

sábado, abril 02, 2005

Quer ser REPÓRTER? Faça a sua formação na ESCOLINHA DO BAIÃO!!!

Profissionais respeitáveis durante largos anos, são hoje, sem uma guerra, uma eleição ou um grande desastre como avião sem asa, fogueira sem brasa, sou eu assim sem você...
Após o término do Euro tivemos cá no burgo, patrocinado pelos difusores da verdade, uma trilogia fantástica de desgraças que nos conduziriam à ruína. Acontecimentos comuns a vários países, a abordagem mediática em Portugal, ao invés de incidir na procura de soluções definitivas ficou-se pela algazarra dos directos, tornando o telejornal num mensageiro da revolta do povo que, volto a insistir, por definição deveria ser afónico:

A Crise

Com um afinco extraordinário não houve fábrica a fechar em Portugal sem uma câmara de televisão por perto. Aliás, estou convencido que, a par de um sindicalista, se tornou uma premissa. Outra vertente da crise foi a subida do preço do crude, com entrevistas aos automobilistas e empresários do sector dos transportes cada vez que aumentava 0,01 euros... enfim, um festim só visto quando o Benfica ganha vantagem em relação ao FCP no campeonato. O engraçado foi constatar que quando o contrário acontecia, isto é, o preço dos combustíveis descia, tanto o tom como a duração da reportagem era completamente diferente. Quanto ao facto do preço dos nossos combustíveis ser tabelado pelo brent (relativamente mais barato) e não pelo crude... isso agora não interessa nada!

A Vaga de Frio

Minha Nossa Senhora, esta bateu recordes. Na minha memória ficarão gravadas eternamente aquelas belas reportagens em Trás - os - Montes em que os repórteres impingiam frio ás pessoas. Os velhotes bem diziam que aquilo era pôr mais um casaquito e ficava resolvido, mas nada, a malta quer é berreiro por isso lá repetiam a pergunta?!: "Mas lembra-se de um frio assim?", "Mas olhe que esta noite bateram-se os mínimos...". E as visitas ás urgências dos Hospitais que invariavelmente tinham procura idêntica à dos anos anteriores? Divinais... com os directores de serviço a repetir vezes sem conta que estava tudo normal para a época. Imagino o sermão que os responsáveis pelas reportagens nos locais onde os canos rebentaram (pelo congelamento da água) devem ter levado por não terem recolhido imagens dos ditos.

A Seca

Desde quando é que se tornou tão importante para os portugueses o preço dos legumes? Devo estar inserido num nicho populacional deveras sui - generis porque ninguem come legumes sem ser por obrigação. Quanto á agua, faço minhas as palavras de um vizinho cá do prédio: "Desde que ela não falte na adega...". Se for por solidariedade com os agricultores não se preocupem, como garantiu João Machado (Presidente da CAP) ao Jornal de Negócios, 300 milhões euros vêm a caminho... e nem precisaram de gastar 10 euros a preencher o boletim.